Home / Artigos / A Simplicidade na SSVP

A Simplicidade na SSVP

Confrades e Consócias do Conselho Metropolitano de Brasília, permitam-me, hoje, compartilhar com vocês o que penso do que seja simplicidade na SSVP ou mesmo no cotidiano de qualquer pessoa.

O grande inspirador de Ozanam e seus amigos, São Vicente de Paulo, elegeu cinco virtudes, para ele fundamentais no viver cotidiano (Simplicidade, Humildade, Mansidão, Mortificação e Zelo). E dentre estas cinco ele tinha predileção por uma em especial: a Simplicidade. Ele amava tanto esta virtude que chegou a chamá-la de “meu evangelho”.

Chamou-me a atenção esta sua predileção, e tentei buscar o porquê desta escolha. Fui, primeiro, ao dicionário. Vejam o que encontrei, dentre tantas definições: “qualidade de quem é franco, sincero, puro”, “de fácil compreensão”, “característica de transparência, de tratamento justo”, “sinônimo de compreensibilidade, que não é complexo, ou complicado”. Daí pensei que tudo isto se encaixa em nosso principal e mais importante papel dentro da SSVP: a visita semanal aos Pobres – Nossos Mestres e Senhores.

Fui mais além, adaptando cada significado em nossa vida vicentina e também cotidiana (pois uma se confunde com a outra) e, nas minhas limitações, comecei a entender a predileção de são Vicente por esta virtude, ainda mais quando me deparei com outro significado: “somente através da simplicidade o indivíduo é capaz de atingir a humildade, qualidade esta que é opositora à arrogância e prepotência”, daí, por consequência, “humildade é a qualidade de quem age com simplicidade”. Simplicidade que leva à humildade…

Em nosso regulamento há a afirmação de que o “vicentino procura imitar São Vicente nas cinco virtudes essenciais a um autêntico amor e respeito pelos mais desfavorecidos” e, quando lista as cinco virtudes vicentinas, dá a seguinte definição para a virtude da simplicidade: “franqueza, integridade, sinceridade”. E esta definição levou-me ainda mais adiante, especialmente para o confrade ou consócia que, além da visita, responde por algum outro encargo, especialmente com obrigações administrativas, legais e financeiras: é honestidade e transparência na destinação e administração dos bens que recebemos em favor dos Pobres e na condução das atividades para as quais nos foram delegadas as responsabilidades.

Então constatei porque São Vicente amava tanto a simplicidade. Ela permeia todo trabalho vicentino e é qualidade também para a nossa vida cotidiana.

Assim, diante de tantos ensinamentos de São Vicente, pode-se afirmar que viver vicentinamente, com simplicidade é, nas visitas que fazemos, chegar nas casas das famílias assistidas e sentar-se com eles no seu banquinho, cadeira ou sofá e tomar com eles um café; é conversar, com sinceridade, de igual para igual com eles ouvindo-os, dando-lhes oportunidade de falar – muitas vezes esta é a sua maior necessidade, alguém para ouvi-los -; é fazer com que eles se sintam bem e à vontade com a sua presença; é passar confiança para eles; pensar com eles alguma forma de libertação da situação em que vivem. E, no lado administrativo e burocrático, zelo, lisura, transparência e reponsabilidade na administração dos bens e das obrigações legais. Enfim, é responder, com humildade, aos chamados da SSVP, seja na Conferência, seja nos Conselhos ou em qualquer Unidade Vicentina, cujo objetivo maior é a busca por amenizar o sofrimento dos nossos “Mestres e Senhores”, promovendo-Lhes dignidade.

Por outro lado, comecei a entender também, que ser simples não significa ser omisso, pelo contrário, se omitir é não ser transparente, é não ser leal, é não ser honesto, é não contribuir e esperar que os outros façam por nós aquilo que deveríamos fazer, é não se envolver e não se comprometer, é tudo que não se espera das pessoas, principalmente de vicentinos.

Como reflexão, hoje não será uma pergunta, uma afirmação: se todos fôssemos simples não haveria discriminação, corrupção, deslealdade, omissão, falta de transparência, de comprometimento, falta de humildade, desonestidade, sonegação, corrupção…… Enfim teríamos um mundo melhor, mais humano, com mais justiça social …… Então, a simplicidade deveria ou deverá ser a nossa melhor qualidade.

*Cfd. José Alves Jerônimo
Coordenador do Departamento de Normatização e Orientação do Conselho Metropolitano de Brasília.

Veja também

O que é e como funcionam as missões vicentinas

É uma forma diferenciada de reconhecer o trabalho realizado por nossos irmãos vicentinos que estão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *